ondamarela

Pensamento

A ondamarela valoriza e exercita o pensamento acerca do seu trabalho, da sua visão cultural e das áreas em que os seus projectos se movem. Promove e participa em momentos de reflexão e debate acerca de Arte, Cultura, Território, Educação ou Comunidade.

Sentimento de Nós – oficina no Douro Creative Hub

No próximo dia 26 de Janeiro, sábado, vamos estar na Universidade de Trás os Montes e Alto Douro para uma oficina integrada no Douro Creative Hub. Inscrições aqui!

Territórios Públicos | 23 Milhas

A ondamarela tem a honra de ser parte deste programa, deste cartaz de gente que tanto admiramos, para fazer algo de que gostamos muito: pensar, debater, reflectir. E a cereja em cima do bolo? É que é para o 23 Milhas – Ílhavo!

 

2018 – o ano em revista

O ano de Dois Mil e Dezoito foi o terceiro ano de actividade oficial da ondamarela. Estivemos com muita gente, em muitos sítios, a fazer coisas muito diversas. Foi um ano super-especial, em que trabalhámos muito, experimentámos muito, conhecemos e aprendemos muito. Foi intenso, foi bonito, foi importante.

Com o Mewġa Mużika, na Valletta 2018 – European Capital of Culture, montámos um projecto de comunidade que culminou no concerto de 9 de Setembro, com o Tim Steiner a dirigir e a ajuda da Joana, do Serginho e do Miguel Ramos, na fase final. Este projecto dá agora bonitos passos de emancipação, com o Norman, o Ray Borg, o John Bryant, o Reece Delia e os outros maravilhosos. Um agradecimento especial ao Vasco Mendes pelo talento, companhia e tão bom feitio.

Tremor é amor, percebemos nós desde a primeira hora que nos cruzámos com o Luis Banrezes Kitas, com o Antonio Pedro Lopes e com o Kin Caxull. O convite para trabalharmos com as pessoas maravilhosas da Asism Açores transformou-se no Som.Sim.Zero, um projecto com o Samuel Martins Coelho em que ainda conseguimos envolver um grupo de músicos generosos de S. Miguel, como o Tiago Dias, o Filipe Ponte, o Hugo Leite, o Jorge Moniz, o Vasco Salgueiro, o Pedro Santos, o Alfredo e a Yara, o Luis, o Jorge e outros que não conseguimos identificar aqui.

Dois Mil e Dezoito foi o ano em que a Orquestra da Bida Airada, com 5 anos de existência, gravou um disco e escreveu um livro. O 23 Milhas – Ílhavo, no ano em que o tema do Rádio Faneca foi o “arquivo”, embarcou nesta aventura de produzir e editar “Os Maiores Êxitos” da nossa Orquestra, com um conjunto de ensaios, reflexões e interrogações conjuntas acerca deste trabalho, de como o vemos, de para que serve, o que deixa nas pessoas. Foi um momento extremamente importante para nós e devemos agradecer a todos os que estiveram neste trabalho: o Serginho, o Pedro Cardoso, a Teresa, o Manuel Dos Reis, o Ivo e todos quantos passaram já pela Orquestra da Bida Airada (e já são tantos!). Mas claro, palavras de agradecimento pela visão, oportunidade e confiança ao Luis Sousa Ferreira, à Vanessa e a toda a equipa maravilhosa do 23 Milhas.

O Dias do Património a Norte, da Direção Regional de Cultura do Norte foi um projecto muito importante para a ondamarela. Obrigado António Ponte, Elvira Rebelo e Cidália Duarte pela confiança e abertura para com as nossas propostas. Temos também de agradecer à Opium, à Joana e ao Carlos Martins pelo convite e à Ana Pedrosa e à Carolina Rufino, pelo acompanhamento, interesse, amizade e solidariedade ao longo de toda esta caminhada. Concebemos e executámos o programa de Mediação para os 8 eventos, nos 8 monumentos do Norte de Portugal. Criámos uma visita-jogo para cada um deles (com a OOF Design, a Juliana Sá, o Artur Carvalho) e o mapa desenhado para Arouca recebeu uma menção honrosa nos prémios Graphis. Obrigado Cláudio, Marina, Pedro e Angelo pelo vosso talento e pela oportunidade de podermos ver-vos trabalhar de perto. Também organizámos visitas guiadas pelas comunidades de cada um dos lugares e uma performance artística colaborativa, que juntou sempre artistas convidados e grupos locais. Estes incríveis artistas foram: António Serginho e Sara Yasmine em Arouca, Samuel Martins Coelho e Paulo Pimenta em Salzedas, Helena Oliveira e Paulo Meirinhos em Miranda do Douro, os Lavoisier em Vila Real, o Ricardo Baptista e a Teresa Melo Campos em Vilar de Frades, o António Miguel e o Artur Carvalho em Outeiro, a Patrícia Costa, o Nuno Preto e o Samuel Coelho em Mogadouro, a Sara Yasmine e o Artur Carvalho em Sambade. Um obrigado muito especial às centenas de pessoas das diferentes comunidades, que deram coisas incríveis a este projecto, deixando-nos sempre comovidos com a entrega e o compromisso que assumiram.
Um abraço especial ao Mauro Rodrigues, companheiro, produtor e amigo que alavancou toda esta empreitada. Um beijinho extra à Juliana Sá, pela criatividade e belezura geráu. Obrigado à Maria Nunes pelo talento e camada de amor que se sente nestes vídeos.


Também tocámos o fado em Dois Mil e Dezoito, no projecto “Fado Lousada”, com o André Nunes, o Pedro Santos e a Patrícia Costa. Obrigado ao Município de Lousada, ao Luís Ângelo Fernandes e às gentes de Lousada, que foram tão especiais. O documentário da Maria Nunes está aí, público, em breve.

Em Dois Mil e Dezoito a Acesso Cultura entrevistou-nos para o Relatório “Além do Físico: Barreiras à Participação Cultural”; quanta honra.
Com os amigos da talkie-walkie e o Raul Pereira programámos as visitas performativas do Portas do Tempo, um programa da CIM Alto Minho, numa organização conjunta das Comédias do Minho e do Teatro do Noroeste – CDV. Há que agradecer a todas as comunidades participantes e aos artistas que aceitaram o desafio de participar num novo conceito de visita: Rebecca Moradalizadeh e Samuel Coelho em Monção, Manuela Ferreira em Ponte de Lima, Daniel Moreira e Rita Castro Neves em Ponte da Barca, Joana Margarida Machado Araújo e Ricardo Baptista em Valença, João Gigante e Ricardo Baptista em Melgaço, Tânia Dinis e Juliana Sá em Viana do Castelo, Helena Oliveira e Miguel Ramos em Arcos de Valdevez.

A Fête de la musique Echternach asbl e o Konterbont asbl, no Luxemburgo, voltaram a convidar-nos para um trabalho relâmpago com comunidades da região, que fizemos com o Samuel.
Concebemos, com a OOF Design, o “Auxiliar de Memória” para a Casa da Memória de Guimarães, um dispositivo de mediação a ser apresentado em 2019.

Para a ALDEIAS HISTÓRICAS DE PORTUGAL, desenvolvemos o extenso e exigente levantamento da gastronomia identitária de cada uma das 12 aldeias desta rede.

A convite da Lovers & Lollypops e para o Município de Mondim de Basto, participámos na 1ª edição do magnífico Salto da Graça, com uma performance com músicos de Mondim, no 2ª dia do Festival. Obrigado muito especial ao Márcio Laranjeira pelo acompanhamento e pela confiança.

Neste ano começámos também um projecto para o Festival der Regionen, na Áustria, que há-de culminar na próxima Primavera. Visitámos a magnífica região norte do país para, com o Airan Berg e com o Tim Steiner reunirmos com todos os potenciais participantes desenharmos a melhor forma de abordar o desafio, que se centrará nos conceitos de “Social Warmth”.

Já em Dezembro culminou o Vozzzzzzzz!, projecto desenvolvido com a Academia de Música de Vilar do Paraíso para o programa Foco Famílias do Teatro Municipal do Porto – Rivoli . Campo Alegre. Foi muito fixe!

E entretanto estamos, com o Tim Steiner, nos últimos preparativos para a semana de produção do Nós 19, um projecto musical de grande escala desenvolvido para o programa Coimbra Região de Cultura da CIM Região de Coimbra. O concerto é já a 12 de Janeiro no Convento São Francisco.

Dois Mil e Dezoito foi também o ano em que a Sara Fernandes veio trabalhar connosco. Isso significa que o nome dela podia estar identificado em todas estas coisas: obrigado Sara!

E por último… actualizámos este site, com a ajuda do Cláudio Rodrigues, pelo que, se vos apetecer, dêem uma ou mais espreitadelas.
BOM 2019!!!!

Programar nas Periferias – Debate

A ondamarela teve a honra de participar, esta semana, no debate “Programar nas periferias: O quê? Para quem? Com quem?” promovido pela Acesso Cultura e que ocorreu simultâneamente em várias cidades do país. Foi uma conversa muito interessante e uma oportunidade para conhecer outros agentes e as suas práticas. Obrigado à C. M. de Famalicão e à Acesso Cultura pelo convite!

Todo o programa aqui:

Debates

Fado Lousada – o filme

O projecto Fado Lousada chega agora a filme, com a apresentação no final deste mês do documentário da Maria Nunes, que acompanhou o processo e o resultado final, no concerto. Depois desta apresentação aos participantes, estamos muito contentes por poder lançar mais este testemunho do nosso trabalho ao mundo. Obrigado Maria, obrigado Pedro, André e Patrícia, e claro, obrigado a todos os maravilhosos artistas em palco!
Para já, fiquem com o teaser!

Acesso Cultura – participação no relatório das jornadas “Além do Físico”

A ondamarela foi entrevistada para a publicação “Jornadas Além do Físico: Barreiras à Participação Cultural – Um périplo pelas Comunidades Intermunicipais de Portugal” da associação Acesso Cultura. Ontem estivemos na apresentação deste trabalho, na Fundação Calouste Gulbenkian, no âmbito da Semana Acesso Cultura.

A Acesso Cultura faz um trabalho muito interessante e meritório e é um enorme prazer termos sido convidados a pensar nas nossas práticas e no nosso trabalho diário.

O Relatório Final, que, para além da nossa entrevista, traz um conhecimento mais sistematizado e profundo acerca das práticas de inclusão no nosso meio cultural, pode ser consultado aqui.

ondamarela na Bolsa de Ideias

Na última segunda-feira encerrámos o primeiro ciclo da BDI em grande! Obrigada a todos os que participaram, em especial a Escola Montessori do Porto, AMBIEDUCA, ondamarela e Le Passe Vite. Vemo-nos em Setembro!

Publicado por Bolsa de Ideias em Quarta-feira, 30 de Maio de 2018

A ondamarela foi uma das participantes na última edição da Bolsa de Ideias, no Porto, dedicado ao tema da Educação.

Obrigado pelo convite!